Quinta-feira, 28 de Outubro de 2010


...que na vida só viveremos UM grande amor?

O primeiro amor é forte, e pulsará sempre dentro dos corações de quem o viveu. Talvez porque oferecemos tudo o que tínhamos à outra pessoa, por amor. Depois do primeiro amor, vêm o segundo. O aperfeiçoamento dos erros da primeira experiência. Então, pela lógica, deveríamos viver mais do que uma história de amor, correcto? Desta forma, corrigiríamos sempre os erros do passado, não?

Ou será que ao vivermos várias paixões, o nosso coração divide-se pelos vários amores e esquece-se do dono?

Não sei, honestamente, não sei.



publicado por Isabela às 17:35 | link do post | comentar | favorito

5 comentários:
De jade e. wood a 28 de Outubro de 2010 às 20:28
oh amor, de nada. ♥


De jade e. wood a 28 de Outubro de 2010 às 20:51
eu gostei tanto deste texto, eu acredito que temos imensos amores verdadeiros na nossa vida mas apenas um deles é o tal. (:


De Mariana a 28 de Outubro de 2010 às 22:07
obrigada por praticipares


De soniiinhaaa :D a 29 de Outubro de 2010 às 21:41
Adorei o texto amor, e obrigado por o apoio :)
Bjinhos ^^ Adoro-te


De Mag a 30 de Outubro de 2010 às 01:11
Partilho a mesma dúvida que tu, sweet...
Talvez tenhamos de beijar muitos sapos, até aparecer o verdadeiro princípe...
Mas o nosso coração tem um dono. Nós próprios.
Beijooos!


Comentar post

Catheline, personal blog.
Cátia Vanessa Castro Reis; 03 de Dezembro de 1992; Robert Pattinson; Escrita; Futura Jornalista ou Psicóloga; Saga Twilight; Muse; Cinema; Música; Gossip Girl; Shopaholic; Amor; Bandoletes; Cupcakes.

Catheline.
Vida virtual
Facebook
Hi5
Littleheart-bf
Twitter
After Breaking Down - Fic
My Life as Esme - Fic
Frozen Inside - Fic
TUMBLR
posts recentes

canção do adeus

comunicado

simple words #4

news #5

my heart is back...

xoxo, gossip girl #3

Amizades virtuais
TChrystine
Blowers Daughter
Lennie Rose
Alexandra Queirós
soniiinhaaa :D
~ mia
mg ஜ
LostDreams
Palavras
“If I could dream, it would be about you.”

(Edward Cullen)
Leitura do Momento
«Nómada», de Stephanie Meyer.