Quarta-feira, 19 de Janeiro de 2011

 

Muitos de vós poderão achar este pequeno desabafo um bocado estranho, mas sei que irão entender perfeitamente a mensagem. São os meus sentimentos que vão fluir nestas singelas palavras, por isso peço-vos que percam um ou dois minutinhos para me ouvir.

Afinal de contas, qual é a grande diferença entre uma casa e um lar?

Uma casa é, basicamente, constituída por tijolos e cimento, muito cimento. Estes edificam as paredes, inumeras telhas formam o telhado. É um conjunto de paredes, fios, cerâmica, madeira e outros materiais, concebida para abrigar uma ou mais pessoas. Algo desprovido de vida, algo perfeitamente irracional, apenas um bem material.

Um lar é, principalmente, a alma da casa. É algo criado pelos seus habitantes, segundo as suas personalidades, gostos e preferências. Cada espaço de um lar grita liberdade de expressão, diversão, amor, fraternidade, carinho e compreensão, criados e enraizados pelos seres racionais, nós, os humanos.

Eu amava totalmente a ideia de sentir que vivo sempre num lar. Mas não sou possuídora de tamanha fortuna. Por vezes, dou por mim a sentir que vivo num sitio despido de vida e que apenas estou a ser protegida das chuvas, do calor tórrido, da neve. Uma casa. Nem sempre posso apelidar de lar o abrigo que me acolhe, se nele violam o meu território, se não me ouvem sempre que preciso, se não me transmitem conselhos e lições da vida que tive de aprender sozinha. Sou mal-entendida constantemente e os meus desejos são persistentemente violados.

Na maior parte do tempo, sinto-me sufocada, cansada, rompida, a minha alma é esburacada dia após dia. Inúmeras vezes são insultos, palavras crúeis e amargas que me dizem, com um sorrisinho malicioso. Posso ser uma pessoa forte, mas as minhas estruturas abanam, e estão em eminência de derrocada. Sinto que a minha auto-estima está prestes a roçar na lama. A minha essência e personalidade vão de encontro à lixeira, sem miinima chance de reciclagem.

Dou por mim a perguntar os motivos para merecer esta calamidade. Pensamentos estes que, diaramente, molham-me o rosto e que me fazem querer viver num mundo imaginário. Mas o querer não é dever. Não posso envolver-me demasiado com as fantasias do meu subconsciente ou inconsciente. Quero lutar pela minha alma, pelo meu espírito, pela minha liberdade. Eu gosto de mim. Mas parece que, cada vez que dou um passo para a frente, existe sempre alguém que me força a correr para trás, para o lugar sombrio onde habito muitas vezes, para algo longiquo e arenoso, onde eu me encontro perdida.

Isto não é ficção. Sempre encarei o meu blog como um porto de abrigo para a minha vida real. Acreditem que, enquanto vos transmito os meus pensamentos, uma grossa lágrima escorre pela minha face. Desculpem-me pelo tema maçador de escrita, mas eu senti necessidade de desabafar e aqui, sinto-me segura, pois sei que estou livre de julgamentos pela vossa parte.

Amo-vos, com todo o meu coração,

 

Catheline.



publicado por Isabela às 10:10 | link do post | comentar | favorito

20 comentários:
De X. a 19 de Janeiro de 2011 às 11:29
é pena que isso aconteça mesmo!
eu o meu ex acabamos por causa disso! =/
beijissimo


De X. a 19 de Janeiro de 2011 às 11:33
esse sentimento significa que tens um lar aqui!
eu tbm sinto um no mundo dos blogs...

mas em relação a casa, eu sou duma terrinha com os meus pais, e agora vim morar para lisboa num apartamento, em que eu nao me sinto nada em casa!
lá tenho os meus pais, os meus cães (que enchem a casa de vida!) e aqui sou só eu... vivo sozinha =/

tens algum animal de estimação? eu acho que eles são essenciais para existir um lar!

beijisismo


De vans a 19 de Janeiro de 2011 às 12:25
Mas ocupam esse pedacinho do teu tempo, e isso já é dar-lhes o devido valor :)
Adorei o blog, o texto.


De alexis a 19 de Janeiro de 2011 às 14:11
Oh minha querida tenho pena que assim seja, contudo à sempre uma esperança ainda que seja remota que a nossa vida mude por completo.
Beijinho


De cαтну☮ a 19 de Janeiro de 2011 às 14:50
acho que quero criar uma coisa privada desde o início.

aiii o teu visual põe-me tãooo babada---
+.+

kisses sweetie


De Ana Silva ♥ a 19 de Janeiro de 2011 às 15:51
Acho que fazes muito bem ;b


De Verónica a 19 de Janeiro de 2011 às 15:56
eu e umas amigas somos assim , muuuito !
passamos a vida a rir , mesmo quando tamos tristes !
FAZES BEM EM RIR (:


De Mag a 19 de Janeiro de 2011 às 16:21
Percerbi perfeitamente o que queres dizer.
E sinceramente penso que tens razão quanto à diferença entre casa e lar.
Espero que resolvas isso querida...
Ajudo-te no que for necessário...podes contar comigo.
Quando tiveres uma casa, acredito que conseguirás chamá-la de lar e serás muito feliz. =)

Beijocas!

P.S - Obrigada por me desejares as melhoras. Estou sinceramente melhor. =) E não é gripe A, afinal. É uma faringite e uma rinite. xD
Já não tenho febre, pelo menos isso. =)
Fico feliz por gostares do meu blogue! =)
E está bem...eu partilho o Robert contigo. =D


De M a 19 de Janeiro de 2011 às 17:07
de nada (:


De agnes hope a 19 de Janeiro de 2011 às 17:16
obrigada. também adorei o que escreveste :)


Comentar post

Catheline, personal blog.
Cátia Vanessa Castro Reis; 03 de Dezembro de 1992; Robert Pattinson; Escrita; Futura Jornalista ou Psicóloga; Saga Twilight; Muse; Cinema; Música; Gossip Girl; Shopaholic; Amor; Bandoletes; Cupcakes.

Catheline.
Vida virtual
Facebook
Hi5
Littleheart-bf
Twitter
After Breaking Down - Fic
My Life as Esme - Fic
Frozen Inside - Fic
TUMBLR
posts recentes

canção do adeus

comunicado

simple words #4

news #5

my heart is back...

xoxo, gossip girl #3

Amizades virtuais
TChrystine
Blowers Daughter
Lennie Rose
Alexandra Queirós
soniiinhaaa :D
~ mia
mg ஜ
LostDreams
Palavras
“If I could dream, it would be about you.”

(Edward Cullen)
Leitura do Momento
«Nómada», de Stephanie Meyer.